Quando falamos em plástica mamaria, temos que entender a diferença entra cada tipo de cirurgia realizada nesta área. Lembrando sempre que uma avaliação com o cirurgião plástico é soberano para cada indicação cirúrgica.

REDUÇÃO

Mastoplastia redutora, também conhecida como mamoplastia redutora, a redução de mama remove o excesso de gordura, o tecido glandular e a pele para atingir um tamanho de mama proporcional com o seu corpo e aliviar o desconforto associado com seios muito grandes.

A técnica que mais utilizamos segue os princípios da técnica do Dr. Ivo Pitanguy, porém, com alguns retoques evolutivos.  A vascularização da aréola utiliza o pedículo superior e a cicatriz final é um “T” invertido (técnica mais realizada no Brasil).  Nesta cirurgia retiramos pele e o excesso de tecido mamário e reposicionamos a aréola e o mamilo numa posição visualmente mais agradável.

AUMENTO

Símbolo maior da feminilidade, e o desejo feminino por seios fartos, fazem da cirurgia de aumento mamário um  grande sucesso em todo o mundo. Conhecida como Mastoplastia de aumento, utilizamos próteses de silicone com gel coesivo, com invólucro texturizado ou de poliuretano. Este tipo de prótese já é utilizada no Brasil há mais de 40 anos

LEVANTAMENTO

Na mastopexia (levantamento de mamas) não retiramos tecido mamário, apenas pele e reposicionamos as estruturas. Muitas vezes utilizamos pequenas próteses de silicone para que a forma conseguida resista por mais tempo as alterações da gravidade.

ONDE FICAM AS PRÓTESES?

Os implantes mamários são posicionados para conferir volume. Os locais possíveis para posicionar os implantes são: posição subglandular (embaixo da glândula mamária);
subfascial (embaixo da glândula mamária e da fáscia pré peitoral – lâmina de tecido conjuntivo que fica entre glândula mamária e músculo peitoral)

ABDOMINOPLASTIA

Ter um abdômen liso e tonificado é algo que muitos de nós se esforçam para ter através de exercício físico e controle de peso, no entanto, às vezes, estes métodos não são suficientes para que alcancemos nossos objetivos. Mesmo pessoas com peso corporal e proporção normais podem desenvolver um abdômen frouxo e flácido. Nestes casos podem recorrer ao procedimento cirúrgico da abdominoplastia, neste procedimento remove-se o excesso de gordura e pele e, na maioria dos casos, restaura-se os músculos enfraquecidos ou separados, criando um perfil abdominal mais suave e tonificado.

Esta cirurgia é geralmente realizada em pacientes que já passaram por gestações anteriores ou que tiveram grande perda de peso. Embora os resultados de um procedimento de abdominoplastia sejam tecnicamente permanentes, o resultado positivo pode diminuir muito devido a oscilações significativas no peso. Por esta razão, pessoas que estão planejando perder peso substancial ou mulheres que consideram futuras gestações são aconselhadas a postergar a cirurgia de abdominoplastia.

LOCAL DA INCISÃO

Cicatriz da Abdominoplastia

A cicatriz resultante de uma abdominoplastia, localiza-se horizontalmente logo acima da região púbica, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar disfarçada sob as roupas de banho e roupas intimas. O procedimento cirúrgico pode ser realizado com ou sem uma incisão ao redor do umbigo (onfaloplastia) dependendo da flacidez de pele presente.  O seu próprio umbigo será transplantado e, se necessário, remodelado.

Deve-se levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior. Várias técnicas existem para a reimplantação do umbigo. Todas elas são passíveis de futuras revisões cirúrgicas, caso venha a ser necessário. Isto acontece em decorrência da anomalia na evolução cicatricial de certas pacientes, e é passível de correção, mediante uma pequena cirurgia sob anestesia local, após alguns meses.

LIPOASPIRAÇÃO E LIPOESCULTURA

Apesar de boa saúde e da prática de exercício físico, algumas pessoas podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. Estas áreas podem ocorrer devido a características genéticas, à falta de controle do peso ou de atividade física.

Também conhecida como lipoescultura, a lipoaspiração remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando os contornos de várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, pescoço, cintura, costas, parte medial do joelho, peito, bochechas, queixo, pernas e tornozelos. Em alguns casos, a lipoaspiração é realizada isoladamente, em demais casos, ela é usada com procedimentos de cirurgia plástica tais como o facelift, a redução de mama ou a abdominoplastia.

LOCAL DA INCISÃO

Cicatriz da Lipoaspiração

As cicatrizes resultantes de uma lipoescultura ou lipoaspiração são mínimas, localizadas em diversas partes do corpo, de modo a permitir acesso às áreas a serem operadas. Seu tamanho varia entre 5 e 8 milímetros e são planejadas para ficar pouco visíveis.

RINOPLASTIA

Plástica Nasal
rinoplastia

O Nariz é a estrutura central e mais proeminente da face, sendo um marco da fisionomia humana. Quando desproporcional aos traços do rosto, é extremamente perceptível. Na Busca de um nariz esteticamente melhor sua forma e simetria devem ser proporcionais ao contorno geral da face, e não se deve considerá-lo como unidade estética isolada e independente.

A Rinoplastia, além de melhorar a aparência e a proporção do nariz, também pode corrigir alguma dificuldade respiratória causada por anormalidades estruturais.

CICATRIZ E RECUPERAÇÃO

A cicatriz da rinoplastia pode variar dependendo de cada paciente. Certos narizes permitem que as cicatrizes fiquem escondidas dentro da cavidade nasal. Nestes casos, não haverá cicatriz aparente. Em outros casos, entretanto, existem cicatrizes externas pouco aparentes, como consequência de incisões (cortes) feitos na columela ou nas asas nasais. Nestes casos, impõe-se a colocação destas cicatrizes externas (pouco visíveis) para se proporcionar um melhor resultado à forma final ou mesmo à fisiologia nasal.

Apesar de haver alguma dificuldade respiratória no pós-operatório imediato (algumas semanas), isto se deve ao fato do “edema” também existir na parte interna do nariz, assim como o movimento de “válvula respiratória” fica prejudicado nesse período, por alteração da elasticidade das asas. Com o decorrer do tempo tende a normalizar-se. Problemas respiratórios poderão estar ligados ao septo que, em certos casos, poderá ser corrigido no mesmo tempo cirúrgico. Quando a correção do septo demanda cuidados especiais, a rinoplastia deverá ser feita numa segunda oportunidade, após ter sido corrigido o septo.

BLEFAROPLASTIA

Plástica das Pálpebras

Também conhecida como blefaroplastia, a cirurgia de pálpebra melhora a aparência das pálpebras superiores, das pálpebras inferiores, ou de ambas. A cirurgia proporciona aparência rejuvenescida na área ao redor dos olhos, fazendo com que o olhar pareça mais descansado e alerta. A cirurgia da pálpebra superior remove o excesso de depósito de gordura que aparece como inchaço nas pálpebras superiores,
pele frouxa, flacidez que cria dobras ou incomoda o contorno natural da pálpebra superior. Já a blefaroplastia da pálpebra inferior remove o excesso de pele e rugas finas na pálpebra.

A cirurgia plástica das pálpebras apesar de corrigir apenas os excessos de pele, gordura e flacidez muscular do território palpebral, podendo, em certos casos, melhorar também o aspecto funcional além de estético.

CICATRIZ E RECUPERAÇÃO

Sendo a pele das pálpebras de espessura muito fina, as cicatrizes tendem a ficar praticamente disfarçadas nos sulcos da pele. Para tanto, deve ser aguardado o período de maturação da cicatriz (3 meses). Pela sua localização são passíveis de serem disfarçadas com uma maquiagem leve, desde os primeiros dias.

É comum edema (inchaço) dos olhos, podendo variar de paciente para paciente. Existem aqueles (as) que já no 4º ou 5º dia apresentam-se com um aspecto bastante natural. Outros irão atingir este resultado após o 8º dia. Mesmo assim, os 3 primeiros dias do pós-operatório são aqueles em que existem maior “inchaço”  das pálpebras.

OTOPLASTIA

Plástica da Orelha

Cirurgia da orelha, também conhecida como otoplastia, pode melhorar a forma, a posição ou as proporções das orelhas. Essa cirurgia corrige um defeito na estrutura das orelhas presente desde o nascimento, que se torna aparente com o desenvolvimento, ou trata orelhas deformadas por lesão.

 A otoplastia cria uma forma natural, dando equilíbrio e proporção às orelhas e face. Correção de deformidades menores pode beneficiar a aparência e a autoestima.

CICATRIZ E RECUPERAÇÃO

A cicatriz desta cirurgia é praticamente invisível, por localizar-se atrás da orelha, no sulco formado por esta e o crâneo. Além do mais, como se trata de região de pele muito fina, a própria cicatriz tende a ficar “quase imperceptível”, mesmo em algumas técnicas que utilizam pequenas incisões na face anterior.

Gluteoplastia

gluteoplastia

É realizada através da colocação de uma prótese de gel de silicone dentro do músculo glúteo maior. A cicatriz fica escondida no sulco glúteo (prega entre as nádegas) e de difícil percepção. É de grande importância salientar que a escolha da prótese de glúteo ideal será feita na consulta médica, quando o cirurgião examinará a paciente e escolherá a melhor prótese para produzir um melhor resultado para o aumento da região glútea, que em cada paciente é diferente.

A prótese de glúteo é indicada para os pacientes com nádegas pequenas ou que após emagrecimento tiveram grande redução do volume, sem que houvesse ptose importante (queda do bumbum). Há vários tipos e modelos de próteses de glúteo, cada uma com uma indicação dependendo do tipo de nádegas da paciente. As próteses de glúteo podem variar de perfil e de envoltório.

O perfil (forma) pode ser redondo ou anatômico, conforme a projeção da prótese. O conteúdo é de gel de silicone de alta coesividade. O envoltório da prótese também pode variar, sendo texturizado ou liso.